29/11/2017

Sintect-AL repudia abertura de novo PDV

 

     Como é de amplo conhecimento de todos, a empresa resolveu abrir um novo PDV direcionado a todos os trabalhadores que tenham pelo menos 15 anos de trabalho nos Correios e sem limite mínimo de idade.

     Mais uma vez a falta de responsabilidade da gestão nacional dos Correios se dá pelo fato de que a empresa não vem repondo os que vem saindo nos últimos PDV‘s, mesmo tendo um Concurso Público em vigência (Concurso de 2011 continua valendo graças a uma determinação judicial após ação da Fentect em Brasília). Todos sabem que, mesmo que a empresa contratasse um trabalhador para cada funcionário que aderisse o PDV, ela continuaria no lucro já que o funcionário "novato" entraria com um salário bem menor, consequentemente com encargos/despesas menores. Sem contar o fato de que a maioria que passam nos concursos são em tese, jovens e solteiro(a)s, que também não teriam dependentes para o plano de saúde, o que seria mais uma economia para a empresa.

     O fato é que a gestão vem sucateando os Correios de forma proposital, deixando os trabalhadores que ficam cada vez mais sobrecarregados e jogando a população contra os funcionários que tentam de todas as formas possíveis atender toda a demanda. Porém, na maioria das vezes tem sido humanamente impossível justamente devido a falta de mais funcionários.

     Como se não bastasse toda essa situação imposta pela gestão nacional dos Correios, ainda vem a Superintendência Regional de Alagoas e corrobora com a situação de calamidade. Repassaram pra imprensa de Alagoas que pretendem "fechar 553 postos de trabalho nos Correios" (segundo a gestão, 553 funcionários de Alagoas estariam elegíveis para aderir ao PDV). Além de irem na contramão da lógica de qualquer empresa que pretende manter o mínimo de qualidade contratando mais funcionários, já que é público e notório a grande necessidade, ainda subestimam a inteligência dos trabalhadores: se no outro PDV que era exclusivo para aposentados, que não perdiam benefícios como o plano de saúde, saíram "apenas" 70, imagine nesse PDV em que aquele trabalhador que decidir sair já perde de cara o plano de saúde.

     O presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Alagoas (Sintect-AL), Altannes Holanda, rebateu na imprensa a decisão da empresa e disse que não concorda com essa postura, uma vez que faltam funcionários.

     "O sindicato repudia essa postura da empresa. Porque, nos levantamentos preliminares que fizemos aqui em Alagoas, só na área operacional está faltando uma média de 80 carteiros e 50 atendentes comerciais. E a empresa ao invés de contratar trabalhadores está abrindo o PDV para demitir funcionários. A gente entende que é um absurdo. O ideal para a categoria é que a empresa abrisse novamente concurso público e tivesse contratação e não redução de um quadro que já é deficitário em todo o país e aqui no estado principalmente", ressaltou Altannes.

     Claro que a decisão final caberá a cada um, mas de antemão a Superintendência Regional dos Correios em Alagoas presta um desserviço a sociedade, já que eles mesmos sabem que existe um quadro deficitário enorme de funcionários e ao invés de cobrar da gestão nacional que contrate mais trabalhadores através de concurso público, ficam balançando a cabeça feito catenga pra tudo que o Presidente dos Correios determina.

 

 

LEIA ABAIXO A MATÉRIA DIVULGADA NA IMPRENSA:

http://tribunahoje.com/noticias/cidades/2017/11/29/correios-pretende-fechar-553-postos-de-trabalho-em-alagoas/

Fonte:

Comentários

Comente esta notícia:
Nome:  
Comentário:    
Compartilhe esta notícia:
Seu Nome:
Nome Destinatário:
Email Destinatário:
Informe o número que aparece na imagem ao lado  
Rua Ceará, 206 Prado
57010-350
Maceió - Alagoas