12/07/2018

ECT intensifica retirada de direitos dos trabalhadores

Representantes do Comando de Negociação durante reunião desta quinta-feira. Fonte: Fentect 

 

 

 

A ECT continua intensificando, sem qualquer pudor e de forma desumana, sua política de retirada de direitos da categoria. A ação é tão devastadora que pretende continuar destruindo as conquistas históricas e atingindo a dignidade dos trabalhadores.


Enquanto a empresa protela as discussões referentes as cláusulas do reajuste salarial e a assistência médica, com a desculpa de que estará negociando estes temas nesta sexta-feira (13), nesta quinta (12) ela já propôs a redução do pagamento de 200% para apenas 100% do valor das horas-extras trabalhadas nos domingos e feriados.

 

A proposta “fascista” não para por aí. Se depender da ECT, o pagamento do adicional noturno também deverá ser reduzido de 60% para apenas 20% e o horário de trabalho para o pagamento desse adicional passa a ser contado das 22 horas até as 5 horas do dia seguinte.

 

A redução do adicional de férias de 70% para apenas 33% é outra proposta revoltante. Para concluir o terrorismo desta quinta-feira, a empresa pretende mudar a data do pagamento dos salários, do último dia útil do mês trabalhado, para o quinto dia útil do mês seguinte.


Nesta sexta-feira (13), a previsão é de que os Correios continuem sua política de propostas rebaixadas e, com certeza, virá com mudanças extremamente prejudiciais para todos sob a desculpa mentirosa de que a estatal está no vermelho. Para isso, a administração nacional vem impiedosamente tentando impor aos ecetistas uma espécie de holocausto econômico que levará a categoria a uma situação de extrema pobreza e deixará a estatal completamente pronta para a privatização.


O companheiro Marcelo Nunes, dirigente do Sintect-AL, está em Brasília defendendo nossos direitos. Não podemos deixá-lo sozinho lutando por nós. Precisamos fortalecer o companheiro Marcelo e todo o Comando Nacional de Negociação lotando as assembleias gerais, apoiando as ações do Sintect-AL e, principalmente, defendendo nossos direitos dizendo não a empresa com uma greve nacional sem precedentes para defender nossa dignidade e nossas famílias.


Nenhum direito a menos, greve nacional para que a ECT não mais nos prejudique!

 

 

Confira abaixo a Ata 12 que trata do que foi discutido nesta quinta-feira:

ARQUIVOS ANEXOS:
Fonte:

Comentários

Comente esta notícia:
Nome:  
Comentário:    
Compartilhe esta notícia:
Seu Nome:
Nome Destinatário:
Email Destinatário:
Informe o número que aparece na imagem ao lado  
Rua Ceará, 206 Prado
57010-350
Maceió - Alagoas