17/08/2018

Agência Central é arrombada pela quarta vez em 2018

Agência fechada para perícia da PF 

 

 

Descaso da ECT indica possível crime de prevaricação

 

 

A Agência dos Correios, localizada na Rua do Sol, Centro de Maceió, foi invadida nesta madrugada de quinta para sexta-feira (17). A Polícia Federal esteve no local para perícia e levantamento do que foi furtado. As primeiras informações indicam que os criminosos levaram encomendas guardadas no interior da unidade postal e o prejuízo pode ser ainda maior.


Esta é a quarta vez em 2018 que a agência sofre este tipo de ação criminosa. A primeira ocorreu no dia 15 de março, quando o setor de carga e descarga foi arrombado e teve equipamentos e objetos postais revirados; a segunda foi no mês de abril durante a Semana Santa e a terceira vez foi no mês de maio deste ano.


Lamentavelmente, após diversos apelos do Sintect-AL, a Superintendência Regional não tomou qualquer providência para que esse tipo de delito deixe de ocorrer. A vulnerabilidade na agência central confirma a política de descaso com os setores postais em Alagoas. Por todo o estado, o que se vê são agências e centros de distribuição cada vez mais inseguros e a mercê dos bandidos. Ainda nesta semana um vigilante do Centro de Logística foi rendido em plena luz do dia e teve sua arma roubada por dois indivíduos.


Apesar do Sintect-AL ter conseguido liminar na Justiça do Trabalho que obriga os Correios a fornecer serviço de vigilância nas agências postais, na agência central de Maceió, infelizmente, o serviço só está disponível em horário comercial. Ou seja, por inconsequência da ECT, à noite e nos finais de semana, o setor fica desguarnecido e a disposição para as práticas delituosas - o que vem acontecendo com frequência.


Todas as vezes em que a agência central foi atacada, o Sintect-AL chamou a atenção para o problema e alertou para a necessidade de providências efetivas. Se nada até agora foi feito é porque, possivelmente, a Superintendência Regional e sua Gerência de Segurança Patrimonial estão incidindo em crime de prevaricação.


Infelizmente, fatos dessa natureza continuarão se repetindo enquanto os responsáveis pelos Correios de Alagoas continuarem inertes, sem atitude para tomar providências que coíbam esse tipo de crime. Aliás, neste momento o superintendente regional está mais preocupado em reeleger seu padrinho político, candidato a deputado, e com isso se perpetuar no cargo, do que com os Correios, os trabalhadores e a população – uma velha pratica patrimonialista enraizada na espúria política alagoana.

 

O Ministério Público Federal precisa ter ciência do que está acontecendo, apurar e pedir punição para os responsáveis. Chega, não dá mais!

Fonte:

Comentários

Comente esta notícia:
Nome:  
Comentário:    
Compartilhe esta notícia:
Seu Nome:
Nome Destinatário:
Email Destinatário:
Informe o número que aparece na imagem ao lado  
Rua Ceará, 206 Prado
57010-350
Maceió - Alagoas