22/08/2018

ECT desrespeita decisão das assembleias e dificulta assinatura do ACT

 

     Mais uma vez a instransigência e a falta de respeito da direção nacional dos Correios foi comprovada no dia de ontem.

     Ao chegarem no TST para a assinatura do Acordo Coletivo, os representantes dos trabalhadores foram pegos de surpresa com as alterações feitas pela ECT, através do seu capataz Heli Siqueira, vice presidente de gestão de pessoas.

     A ECT resolveu, aos 45 minutos do segundo tempo, fazer alterações na cláusula 28, a cláusula que trata do plano de saúde, sendo que isto não foi a proposta do ministro, nem tampouco a decisão dos trabalhadores de todo o país nas assembleias.

     A referida cláusula 28 não trata apenas do custeio de plano de saúde(que foi objeto de julgamento em Março deste ano pelo TST), mas de várias alíneas que são importantes para a categoria e que devem permanecer. Um dos exemplos é a alínea que diz que, ao sofrer acidente de trabalho, a assistência médica deve ser bancada 100% pela empresa. Outra alínea cita que a ECT deve garantir o transporte dos funcionários com necessidade de atendimento emergencial do setor de trabalho para o hospital conveniado mais próximo.

     E o que fez a empresa de última hora? Fez diversas inclusões em várias alíneas da cláusula 28, dificultando o que ela própria já havia dito na mesa de negociação que o assunto estava na justiça e não havia possibilidade de nenhuma alteração enquanto não tramitasse em julgado os embargos. E pior, a sua atitude irresponsável frustrou a expectativa dos trabalhadores pela assinatura do ACT 2018, já que nem a Fentect nem a Findect concordam com isto.

     Vale lembrar que nos últimos dias a própria empresa lançou vários informes internos se dizendo amplamente favorável a proposta do TST, que inclusive foi discutida com o Ministro pelo comando de negociação para detalhar a mesma, justamente para evitar que a ECT fizesse manobras. E mesmo assim, esses irresponsáveis tiveram a cara de pau de desrespeitar não só o despacho do TST, mas também a decisão soberana dos trabalhadores.

     A atitude da ECT, feita através do Sr. Heli Siqueira, é o reflexo de um fazendeiro que coleciona em seu currículo inúmeras autuações por fiscais do trabalho de Minas Gerais por diversas irregularidades trabalhistas em sua fazenda. Hoje ele serve de capacho do Michel Temer, do Kassab e do atual presidente dos correios Carlos Fortner para destruição dos Correios.

     O Sintect-AL orienta aos trabalhadores e trabalhadoras que se mantenham mobilizados, firmes e preparados para um possível enfrentamento. Fizemos a nossa parte de manter o estado de greve e se for preciso vamos a luta pelos nossos direitos.

Fonte:

Comentários

  • 31/08/2018 11:46:15 João e Maria

    Se ainda estamos em estado de greve, o mês de outubro é um bom mês pra entrarmos. Mês de eleição. Greve p cima deles!

Comente esta notícia:
Nome:  
Comentário:    
Compartilhe esta notícia:
Seu Nome:
Nome Destinatário:
Email Destinatário:
Informe o número que aparece na imagem ao lado  
Rua Ceará, 206 Prado
57010-350
Maceió - Alagoas