26/06/2019

CDD Barro Duro está à beira de um colapso

 Foto Arquivo Sintect-AL

 

 

 

Por Flávio Ribeiro de Souza*

 

 

O CDD Barro Duro atua em uma grande área de Maceió atendendo os bairros do Feitosa, Serraria, Barro Duro, São Jorge, Antares e o populoso Jacintinho. É uma unidade de distribuição que enfrenta diariamente os problemas que os outros CDD’s também vivenciam. Porém, vários fatores se destacam de forma negativa na operacionalização de todo o serviço de triagem, colecionamento e, principalmente, na entrega dos objetos postais. Problemas com numeração irregular nos logradouros, aclives, declives, escadarias, excessos de grotas, insegurança e trechos quase intransponíveis fizeram com que o CDD Barro Duro vivesse numa linha tênue entre o heroísmo e o fracasso dos trabalhadores que nela labutam.


Por si mesmo estes fatores já seriam suficientes para que muitos desistissem de continuar honrosamente seu árduo e eficaz trabalho. Devido a má gestão da superintendência, o que deveria melhorar, piorou. Numa lambança sem precedentes, o coordenador da Unidade, com o aval do superintendente estadual (aquele da folha A4) implantaram a LOEC automática sem nenhum estudo de impacto e nenhuma base sólida para que ela funcionasse. Tentaram alguns ajustes e nada ajustaram, pois nem o dever de casa fizeram. Apenas piorando a vida de todos os trabalhadores dentro da Unidade.


Parecia a corrida pelo ouro, uma gananciosa e emblemática investida para implantar a Distribuição Domiciliária Alternada nos moldes mais tosco, no achismo e na ignorância intelectual de que tudo daria certo e suas funções estariam salvas. Implantaram um DDA as avessas, um Desastre na Distribuição Alternada. O dever era apenas implantar e a qualidade foi apenas um desejo dispensado pelos atores dessa trágica comédia.


Mas, as lambanças não pararam no CDD Barro Duro. A ECT e sua respectiva coordenação são acostumadas a fazer peripécias, a exemplo da transferência de alguns distritos do CDD ponta Verde para o CDD Maceió acarretando um mês de atrasos que levaram o então gerente do CDD Ponta Verde, e atualmente coordenador das lambanças, a desfazer as transferências. Por este ato prejudicial à ECT e à população, o responsável jamais respondeu pela aventura inconsequente.


Esta terça-feira, 25 de junho de 2019, foi o dia em que a equipe de técnicos, coordenadores e o superintendente conseguiram o improvável, o impensável: colocar o CDD Barro Duro na rota de declínio e deixar o caminho pavimentado para alcançar o desastroso e jamais cobiçado último lugar no ranque nacional das unidades de distribuição do Brasil.


Aplausos em pé para os ganhadores do Oscar da incompetência e da submissão.

 

 

 

* É carteiro do CDD Barro Duro e Dirigente Sindical.

Fonte:

Comentários

Comente esta notícia:
Nome:  
Comentário:    
Compartilhe esta notícia:
Seu Nome:
Nome Destinatário:
Email Destinatário:
Informe o número que aparece na imagem ao lado  
Rua Ceará, 206 Prado
57010-350
Maceió - Alagoas