25/01/2020

Hoje é Dia do Carteiro - Guerreiros da Luta

 

 

Nas diferentes épocas da história postal brasileira o carteiro já foi tropeiro, estafeta, carregador de mala postal e inspetor de serviço postal, sendo cada um desses momentos reflexo de uma época que marca a evolução dos Correios e a construção de uma categoria aguerrida e fundamental para a integração nacional.

 

Ao longo do tempo, diante da necessidade de informação, lá estava o carteiro para servir a sociedade e prezar pela boa comunicação. Segundo a história, no ano de 3.000 a.C., mensageiros velozes corriam quilômetros para levar mensagens aos governantes. Ao chegar, recitavam o texto da carta para o destinatário. Não é à toa que a palavra correio vem do verbo correr (pessoas que levavam as notícias correndo).

 

Em Alagoas, no século XIX os carteiros entregavam as correspondências após a chegada das linhas postais com as malas transportadas pelos navios a vapor das companhias pernambucana e baiana e por paquetes pelas lagoas Mundaú e Manguaba. Além dos paquetes, a distribuição também ocorria por estafetas, denominação hoje equivalente a entregadores de telegramas. Quanto a periodicidade para a entrega dos objetos postais, ela se dava semanal, mensal ou bimestralmente dependendo da região alagoana em que seria distribuída.

 

O serviço postal de entrega de correspondências à domicílio foi criado somente em 1844 e 83 anos depois, em 1927, iniciou-se o transporte de correspondência via aérea entre a América do Sul e a Europa. Três anos mais tarde, o então presidente da República, Getúlio Vargas, instituiu o Departamento de Correios e Telégrafos (DCT), que originaria a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), criada em 20 de março de 1969 e responsável pela prestação dos serviços postais, recebendo e despachando para todo Brasil.

 

Durante esse processo de desenvolvimento do serviço postal no País, lá estava a figura do carteiro com suas mais variadas denominações levando a informação, as notícias de todas as partes do mundo para os brasileiros. Entretanto, o momento é de extrema preocupação com os rumos dos Correios e o risco da não continuidade desta bela e fundamental profissão. Diariamente, a categoria, em especial os carteiros, vem travando uma luta desumana para a manutenção de um correio público e de qualidade, para a sobrevivência dessa que é uma das profissões mais importante e antiga do mundo.

 

Neste 25 de janeiro, data em que se comemora o Dia do Carteiro, o Sintect-AL cumprimenta todos os companheiros e companheiras – vanguarda do movimento sindical e abnegados profissionais do serviço postal brasileiro.

 

Parabéns aos carteiros e carteiras pela passagem deste grande Dia!

Fonte:

Comentários

Comente esta notícia:
Nome:  
Comentário:    
Compartilhe esta notícia:
Seu Nome:
Nome Destinatário:
Email Destinatário:
Informe o número que aparece na imagem ao lado  
Rua Ceará, 206 Prado
57010-350
Maceió - Alagoas