03/03/2020

Categoria aprova estado de greve contra ataques na assistência médica

 

 

Reunidos em assembleia geral, na noite desta terça-feira (03), na sede do Sintect-AL, os ecetistas deliberaram pelo adiamento da greve geral programada para iniciar nesta quarta-feira e decretaram estado de greve para fazer frente aos ataques da Postal Saúde.

 

Desde a última decisão do STF, que concedeu liminar favorável à ECT e suspendeu os efeitos da cláusula 28 do Acórdão Coletivo de Trabalho, a categoria vem enfrentando um verdadeiro estado de beligerância para defender uma assistência médica justa para os trabalhadores e seus familiares.

 


Lamentavelmente a direção nacional dos Correios, se aproveitando desta liminar, decidiu unilateralmente, sem qualquer negociação com os trabalhadores, implantar administrativamente os descabidos, injustos e desumanos reajustes nas mensalidades e compartilhamentos. A medida vem sendo tratada como uma tragédia sem precedentes, já que milhares de ecetistas estão sendo obrigados a sair do plano e ficar na dependência do SUS por não suportar os descontos nos contracheques salariais.

 


Na próxima assembleia, marcada para o próximo dia 17 deste mês, a categoria se reunirá novamente para decretar greve geral a partir da zero hora do dia 18. A mudança planejada e acertada coincidirá com o Dia Nacional de Paralisação de diversas categorias do serviço público que estão em constante luta contra o governo federal que pretende acabar com os serviços públicos, intensificar a terceirização e o processo de uberização escravizando em definitivo os trabalhadores para atender a ânsia cada vez maior de lucro do mercado internacional.

 


No caso específico dos ecetistas, a greve será contra estes problemas, mas, principalmente, contra a destruição da assistência médica e a privatização de uma das mais eficientes estatais brasileiras. Portanto, sua participação é fundamental para mostrar a esse governo, inimigo dos trabalhadores, que os ecetistas lutarão até as últimas consequências para defender o serviço postal público, os empregos e a família de cada companheiro de trabalho.

 


Dia 18 será o Dia da Luta pela sobrevivência dos mais de cem mil trabalhadores postais espalhados pelo Brasil. Portanto, ninguém compareça ao setor de trabalho neste dia e vamos lutar pela dignidade humana que este governo teima em acabar. Todos nas ruas para dizer BASTA a Paulo Guedes e a Jair Bolsonaro, algozes dos ecetistas e demais trabalhadores brasileiros.

 

Entrar no setor de trabalho neste dia não vai salvar seu emprego. Venha e lute por você, por seus companheiros de trabalho e por sua família!

Fonte:

Comentários

Comente esta notícia:
Nome:  
Comentário:    
Compartilhe esta notícia:
Seu Nome:
Nome Destinatário:
Email Destinatário:
Informe o número que aparece na imagem ao lado  
Rua Ceará, 206 Prado
57010-350
Maceió - Alagoas