25/05/2020

População da Barra de Santo Antônio sofre com descaso no serviço postal

 Clientes no outro lado da rua aguardam atendimento na agência postal da Barra de Santo Antônio

 

 

 

Há quase dois meses o Sintect-AL vem pedindo providências à Gerência de Operações dos Correios para normalizar o atendimento postal em Barra de Santo Antônio, município distante 40 quilômetros de Maceió.


Desde que o atendente comercial precisou se afastar, a agência conta apenas com um carteiro para dar conta de toda a distribuição na cidade. Resultado: devido ao descaso do Geope com o serviço dos Correios na agência, o carteiro vem sofrendo retaliação de clientes insatisfeitos com a precariedade do serviço postal na região.

 

Além de não atender a população por falta de funcionários, a agência está abarrotada de cartas e encomendas acumuladas a espera de uma solução que ainda não veio por parte dos Correios. Uma vergonha sem justificativa, já que na ausência de um trabalhador por motivos justificados, a empresa tem a obrigação de providenciar um substituto e não prejudicar a população do município.


Para piorar, o carteiro que se encontra totalmente vulnerável sofre com a falta de segurança no trabalho. Diariamente dezenas de populares se concentram nas imediações da agência a espera de atendimento para postagem ou recebimento, in loco, de seus objetos postais. Mas, apesar do esforço sobre humano do carteiro, este não consegue atender a todos e ainda sair para a distribuição, fato que vem gerando constrangimento e muita insatisfação nos clientes que exigem o atendimento e a prestação dos serviços.


Diante do abandono da ECT e do “nem aí” do Geope, a situação se agrava a ponto de o carteiro ter os pneus de sua moto esvaziados em duas ocasiões, possivelmente em razão da revolta de clientes com o descaso dos Correios no município.


O Sintect-AL reitera o pedido de providências ao gerente de Operações para que o atendimento e a distribuição na agência postal sejam normalizados; para que a população tenha tranquilidade após a efetiva  prestação dos serviços de Correios na região; para que o patrimônio pessoal do carteiro não seja mais atacado e, muito menos, nosso companheiro corra risco de agressões físicas ou verbais em razão da falta de seriedade da ECT com o serviço postal no município.

Após o alerta do Sintect-AL sobre o fechamento da agência, quase dois meses foi tempo mais que suficiente para que todas as providências fossem tomadas. Se não resolveram é porque estão esnobando a população ou a ineficiência anda solta nos Correios de Alagoas.

Fonte:

Comentários

Comente esta notícia:
Nome:  
Comentário:    
Compartilhe esta notícia:
Seu Nome:
Nome Destinatário:
Email Destinatário:
Informe o número que aparece na imagem ao lado  
Rua Ceará, 206 Prado
57010-350
Maceió - Alagoas