20/10/2020

Superintendência põe vida de terceirizados em risco

Foto meramente ilustrativa - Fonte: internet

 

 

 

Quanto vale a vida de um trabalhador terceirizado? Pelo que parece, para o superintendente dos Correios em Alagoas, Edmilson Bezerra, não vale nada. Além da relação de emprego precarizada e repleta de oportunismo, há quem se aproveite das dificuldades econômicas de dezenas de pais e mães de família, excluídos do mercado de trabalho, para explorar impiedosamente quem, pela necessidade, diariamente se submete a condições degradantes e perigosas de trabalho.

 

Os conhecidos MOT’s, sigla para mão de obra temporária, estão saindo para a distribuição externa sem qualquer identificação que indique o vínculo com os Correios ou medida que garanta a segurança durante as atividades em pontos perigosos de Maceió.

 

Para eles, o trabalho próximo da semiescravidão tem se revelado bastante temeroso, já que estão sendo submetidos a entrega de cartas em regiões onde nem a polícia entra. O risco iminente à integridade física e psicológica não está sendo levado em consideração quando chega a determinação para a entrega nas áreas de risco.

 

A relação desumana e fria da Superintendência para com estes companheiros é de causar espécie em qualquer indivíduo que se importe com o próximo. A indiferença, além de gritante, é típica de gestores que parecem fazer curso para entrar no inferno tamanho o desprezo com a segurança e a vida alheia.

 

Desprezar e deixar à própria sorte trabalhadores que merecem respeito e toda a solidariedade humana é bem característico de quem lidera uma Superintendência que não tem qualquer preocupação com a vida do outro e expõe dezenas de trabalhadores ao perigo em lugares controlados pelo tráfico e por bandidos que não respeitam sequer a população local.

 

Diante de uma tragédia anunciada, não há de se falar em fatalidade, mas na responsabilidade da Superintendência Estadual e de sua Gerência de Atividades Externas. Duas mazelas que afundam a empresa e põem em risco a vida de dezenas de trabalhadores.

 

Parabéns aos companheiros terceirizados que tiveram a coragem de denunciar mais esse descaso do superintendente estadual dos Correios em Alagoas.

Fonte:

Comentários

Comente esta notícia:
Nome:  
Comentário:    
Compartilhe esta notícia:
Seu Nome:
Nome Destinatário:
Email Destinatário:
Informe o número que aparece na imagem ao lado  
Rua Ceará, 206 Prado
57010-350
Maceió - Alagoas